segunda-feira - 17/05/2021
spot_img

Operação Falsa Modéstia: PC investiga suspeitos de furarem fila da vacinação contra Covid-19 em Rubiataba

Apuração aponta que empresários e funcionários públicos da cidade se passavam por profissionais de saúde para serem imunizados. Durante a ação, foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão.

A Polícia Civil de Goiás realizou na manhã desta sexta-feira (16/04) a Operação Falsa Modéstia contra indivíduos suspeitos de furar a fila de vacinação contra a Covid-19 em Rubiataba, região central do Estado. Ao todo, foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão no município e também na cidade de Ceres. Entre os alvos estão empresários, profissionais liberais e funcionários públicos, que se passavam por profissionais de saúde para serem imunizados. Pelo menos 12 pessoas teriam participado do esquema criminoso.

Segundo a investigação, os crimes eram praticados mediante a apresentação de declarações falsas à Secretaria de Saúde de Rubiataba. “Elas declaravam que exerciam funções na área de saúde, trabalhando como recepcionista, balconista, auxiliar de serviços gerais em clínicas odontológicas, farmácias e estabelecimentos congêneres. A equipe passou a investigar e levantou que, aparentemente, essas pessoas na verdade não exerciam nenhuma dessas funções”, informou o delegado Gustavo Mendes Silva.

Em um dos casos apurados, uma engenheira civil teria se passado por recepcionista de uma clínica odontológica, para obter a primeira dose da vacina. “Quatro dias antes de ter prestado essa declaração [à pasta de saúde], ela registrou uma Anotação de Responsabilidade Técnica perante o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia, ou seja, ela exercia de fato a função de engenheira, já que é a responsável técnica por determinada obra ou serviço, mas se declarou como recepcionista. Isso chamou a atenção da equipe de investigadores”, pontuou.

Foto: Polícia Civil/Divulgação


Com o apoio do Ministério Público de Goiás (MP-GO) e do Poder Judiciário, os policiais conseguiram a expedição dos mandados, cumpridos nas residências e estabelecimentos comerciais ligados aos indivíduos investigados. Durante as diligências, foram apreendidas três armas de fogo (duas espingardas e uma pistola cal. 635), munições, além de diversos documentos celulares e outros objetos, que serão agora analisados.

Os suspeitos deverão responder no inquérito policial pelos crimes de falsidade ideológica e infração de medida sanitária preventiva, com penas que ultrapassam os quatro anos de prisão, além de multa. “Agora de posse dos elementos obtidos através das buscas e apreensões, a investigação prossegue no intuito de identificar outros envolvidos e comprovar cabalmente os crimes”, completou o delegado responsável pela ação.

Além de policiais civis da Delegacia de Polícia (DP) de Rubiataba, também participaram da Operação Falsa Modéstia equipes da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE/GT3) e da Gerência de Planejamento Operacional (GPO) da PCGO.

VEJA TAMBÉM

SIGA NAS REDES

2,820FansLike
1,019FollowersFollow
0SubscribersSubscribe

PUBLICIDADE

spot_img
spot_img
spot_img