segunda-feira - 14/06/2021
spot_img

Aplicativo Olho na Bomba já teve 272 mil downloads

O aplicativo Olho na Bomba, desenvolvido pelo Ministério Público do Estado de Goiás em parceria com a Universidade Federal de Goiás, atingiu mais de 272 mil downloads em quatro meses. De acordo com o coordenador do Centro de Apoio Operacional do Consumidor, promotor de Justiça Rômulo Corrêa de Paula, pesquisa realizada nesta semana mostra que a média de preços dos combustíveis sofreu redução desde o lançamento do aplicativo.

“O estímulo à concorrência gerado pelo olho na bomba pode ter influenciado, juntamente com outras circunstâncias de mercado, a redução dos preços dos combustíveis”, afirma Rômulo Corrêa. No lançamento do aplicativo, em 25 de setembro do ano passado, o preço médio da gasolina era de R$ 4,897 e no dia 13 deste mês, R$ 4,339 – variação de R$ 0,558 (redução de 11,39%). Já o etanol manteve-se estável, com leve aumento, de R$ 2,94 para R$ 2,98 – variação de 0,044 (aumento de 1,49%). O diesel sofreu redução de R$ 0,268 (7,19%), caindo de R$ 3,727 para R$ 3,459).

De acordo com a pesquisa realizada pelo aplicativo, é possível fazer economia de gastos a partir da observação da variação de preços. Na segunda-feira (21), os preços mais alto e mais baixo da gasolina, por exemplo, eram de R$ 4,599 e R$ 3,99, variação de R$ 0,60 (-13,04%) – economia de R$ 30,00 para tanque de 50 litros. Já o etanol variou entre R$ 3,199 e R$ 2,650, variação de R$ 0,549 (17,16%) – economia de R$ 27, 50. No diesel, o preço mais alto era de R$ 3,999 e o mais baixo, R$ 3,270, diferença de R$ 0,729 (18,22%) e economia de R$ 36,45. Todos os preços são relativos a pagamento em dinheiro.

Segundo Rômulo Corrêa, os postos com maior preço estão localizados em avenidas de regiões de grande fluxo de veículos, em bairros nobres da capital. O coordenador do CAO do Consumidor explica que o Olho na Bomba proporciona comodidade aos motoristas de todo o Estado, devido ao cadastramento dos postos de combustível ter alcançado 98,58% dos estabelecimentos cadastrados na Agência Nacional do Petróleo (ANP) também fazerem parte da base de dados do aplicativo. Dos 1695 cadastros na ANP, 1671 estão catalogados no Olho na Bomba. É possível fazer a verificação de preços também nos postos instalados nas rodovias, o que facilita a programação de abastecimento em viagens.

Nos quatro meses de funcionamento, o Olho na Bomba recebeu 565 denúncias de consumidores. Destas, 392 foram encaminhadas ao Procon. Não foram verificadas divergências em 173. Rômulo Corrêa informou que novas funcionalidades estão programadas para o aplicativo, que terá uma atualização em breve. “Vamos dar possibilidade de maior interação dos usuários e adicionar novas funções”, afirmou. O MP-GO orienta o consumidor a pesquisar os preços, utilizar e recomendar o aplicativo. “Desta forma, todo mundo economiza e tona o mercado goiano mais competitivo”, orienta Rômulo Corrêa. O Olho na Bomba pode ser baixado nas lojas de aplicativos IOS e Android, gratuitamente. (João Carlos de Faria / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO)

VEJA TAMBÉM

SIGA NAS REDES

2,837FansLike
1,019FollowersFollow
0SubscribersSubscribe

PUBLICIDADE

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img